Voltar ao topo

Twilight Princess

Tilight Princess Info Sheet

Durante a E3 2004, foi revelado ao mundo o novo Zelda para Game Cube que, para a surpresa de todos, não usava mais os gráficos estilo "cartoon" que o seu antecessor, The Wind Waker, usava.

Obviamente, foi uma surpresa muito bem-vinda e que saiu pipocando aos montes pela internet, sendo recebida com grande entusiasmo e "urras" por muitos fãs da série. Para a maioria, a Nintendo estava se redimindo, e como louvor, pelos gráficos do Wind Waker. É claro que, para muitos, WW é um excelente jogo, mas faltava uma pitada de "maturidade" em Zelda.

Com o anúncio do Nintendo Wii, veio a notícia de que o tão esperado Twilight Princess sairia para o novo console. No entanto, os donos de GameCubes não foram abandonados, apenas precisaram esperar uma semana a mais que os portadores de Wiis para porem as mãos no jogo.

Embora essencialmente seja o mesmo jogo, as duas versções apresentam algumas diferenças entre si. A mais notável delas é que a Hyrule do Wii é uma variante espelhada de sua "irmã" do GC, ou seja, a esquerda é trocada pela direita – até o Link ficou destro! A versão do console mais novo também faz uso do inovador Wii remote, o que significa que o jogador precisa balançar o controle para fazer nosso herói dar espadadas, e usar um cursor em forma de fada para mirar na tela com seu arco, clawshot ou vara de pescar. Outro aprofundamento na experiência de jogar essa versão é que temos a voz de Midna – companheira de Link nessa aventura – saindo do alto-falante embutido no Wiimote; do mesmo modo temos o clássico som de quando desvendamos um enigma, presente em quase todos os jogos da franquia.

Link in Twilight Princess

Apesar desses extras, a versão do Wii é um port da versão de Game Cube, e por isso não faz uso de todo o potencial gráfico do console mais jovem da Nintendo. Na verdade, embora muito mais "realista" e sombrio, Twilight Princess foi construído sobre a engine de The Wind Waker, após intensa modificação. De fato, embora tenha abandonado o carismático estilo infantil de seu antecessor, TP ainda faz uso de efeitos em cel-shading (técnica que dá certa aparência de desenho 2-D a gráficos em três dimensões – o termo não se refere ao estilo "cartoon", como muitos pensam).

No fim das contas, muitos passaram a considerar este o melhor Zelda já feito, muitos outros continuam creditando esse título ao clássico Ocarina of Time. Devido à imensa expectativa gerada por dois anos de espera entre o anúncio e o lançamento do jogo, Twilight Princess acabou tornando-se um pouco frustrante para alguns gamers, principalmente no quesito dificuldade, que é algo que a série vem deixando a desejar em seus títulos mais recentes. A despeito disso, o que temos é um jogaço que certamente rende boas horas de diversão.

 

Section under construction!