Voltar ao topo

Oracle of Ages

Oracle of Ages - Info Sheet

Depois da expectativa não alcançada com Majora´s Mask (o que foi, até certo ponto, uma injustiça), Shigeru Miyamoto anuncia ao mundo não um, nem dois, mas TRÊS jogos novinhos em folha para o Gameboy Color. Mal sabem todos que, antes de anuciarem esses jogos, a Nintendo e a Capcom já vinham trabalhando juntas no "Remake" do Legend Of Zelda (NES) para o GBC.

Esse remake, que atualizava os gráficos do jogo para algo próximo e, claro, melhor dos de Link's Awakening, acabou sendo cancelado próximo do fim. Como o próprio Miyamoto e Yoshiki Okamoto (produtor da Capcom) revelaram numa entrevista, o remake era só um teste para que o pessoal da Capcom se familiarizasse com o jeito de fazer um Zelda. Num certo ponto do processo, eles acharam que já podiam "pular" esse estágio de testes e começar a fazer, de fato, um novo Zelda... Quer dizer, um não, três.

Apesar dessa parceria entre Capcom e Nintendo chamar atenção, o verdadeiro destaque desses jogos estava num ponto inédito de toda a série Zelda: a conexão. De fato, os jogos se conectariam entre eles para passar informações, itens, segredos, dentre outras coisas. Assim, você aprovetaria itens de um jogo anterior para resolver enigmas do outro e assim por diante. Eles contariam a saga da Triforce, e, por isso mesmo, os jogos foram chamados de Triforce Series. Além dessa inovação, os jogos contavam com novos itens, personagens, três animais (um para cada jogo) e uma história que prometia muito.

Mas, poucos meses depois do anúncio desses jogos, Miyamoto e Okamoto tiveram que cancelar o jogo correspondente à parte da Coragem, pela confusão e dificuldade de fazer e criar uma conexão entre três jogos diferentes. Os jogos logo ganharam novos nomes: Oracle Of Ages e Oracle Of Seasons. Duas histórias ligadas por um único herói que teve elementos antigos mantidos, inclusive a conexão.

Apesar do cancelamento do remake do primeiro Zelda para a criação desses jogos, é possível notar várias coisas que permaneceram do remake, tais como o cemitério, nome das dungeons (o level 1 se chama Snake's Remains -Restos das Cobras-, uma clara alusão ao level 1 de LoZ, que tinha uma forma de cobra) e até mesmo aquele velhinho do Zelda 1 que podia lhe dar Rupees ou tirá-las para consertar a porta.

Official art - Oracles O Ages é mais inclinado para a "nova escola" de Zelda, iniciada com Ocarina Of Time, onde temos a ação mais em foco, sem esquecer, é claro, dos desafios. Já o Seasons é mais a "velha escola", que vêm desde do Zelda 1 e teve seu auge com A Link To The Past, sendo que valoriza o raciocínio e os labirintos ao máximo. Se você gosta mais do jeito Ocarina de ser, escolha o Ages, ou se gosta mais do antigo jeito Zelda de ser, escolha o Seasons. Ou então, se gosta de Zelda, escolha ambos os jogos, pois são espetaculares.

Quanto a história, em ambos, Link é chamado pela Triforce e, quando a alcança, o misterioso artefato lhe transporta para um mundo diferente onde recebe a missão de proteger os Oráculos daqueles reinos. Mal sabia ele que acabaria tendo que salvar todo o mundo mais uma vez.

No Ages, você sai em uma aventura em duas eras diferentes do mesmo reino para conseguir salvar Nayru e acabar com os planos diabólicos de Veran. Lembre-se, seus fatos no passado determinarão o bem do futuro... uma tarefa e tanto! Um jogo indispensável para quaquer fã da série Zelda.

 

Section under construction!