Voltar ao topo

A Link to the Past

A Link to the Past - Info Sheet

Logo após o Zelda II, a Nintendo já estava trabalhando num Zelda III para NES que acabou tendo seu desenvolvimento interrompido. Isso visto que o SNES estava saindo do forno e o jogo estava se tornando grande demais para as capacidades do antigo console. Ainda hoje, segundo pessoas que trabalham na Nintendo japonesa, há uma cópia desse protótipo para NES e que lugares como o pântano já existiam.

Zelda: Kamigami no Triforce incorporou algumas inovações do Zelda II, mas trazendo de volta elementos que tornaram clássico o Zelda I. A perspectiva área volta com força total e uma jogabilidade ação-aventura que traz a magia da série em si. Tendo sido lançado em 1991 no Japão (um ano depois do lançamento do console), rapidamente se tornou um hit e um dos jogo mais populares daquela época. Nos EUA (e Brasil), o lançamento só ocorreu em abril de 1992, sem um cartucho dourado.

Estando no SNES, a série foi elevada a um patamar acima, com ambientes dos dungeons feitos totalmente diferentes uns dos outros e um mundo enorme a ser explorado. A atmosfera do jogo era enorme e há forte influência de Tolkien sobre ele. Influência que perdura até os dias de hoje com uma tentativa de criar um mundo totalmente diferente com seus mitos e línguas. Sem contar a música épica por Koji Kondo que aparecia no momento certo no ambiente certo, dando realmente a impressão de um outro mundo.

Efeitos como a chuva no deserto e a névoa de Lost Woods eram impressionantes e inovadores na época. Um elemento que permaneceu do Zelda II foi a presença de NPCs originais e diferentes uns dos outros (coisa que não acontecia com o Zelda I). Os NPCs exerciam papéis importantes como acesso a certos eventos ou dicas sobre itens. Certamente uma coisa que estava faltando na parte RPG do jogo. Ainda tinha o Dark World, que dava uma dimensão totalmente oposta a Hyrule, que adicionava bastante raciocínio pois, com o espelho, você podia viajar de uma dimensão a outra e assim acessar lugares que pareciam impossíveis.

Ainda hoje, esse Zelda aparece no Top 5 de jogos do Super Nintendo ou Top 100 de todos os consoles. Sua popularidade no SNES pode ser comprovada pela marca de 5 milhões de cópias vendidas no mundo e que disputa com o Ocarina of Time pela posição de melhor Zelda. Uma versão port saiu para Game Boy Advance junto ao multiplayer The Four Swords. Então se você não pode jogar mais a versão de SNES, compre a de GBA, pois vale muito a pena. Isso sem nem contar o modo multiplayer exclusivo...

 

Section under construction!